Pesquisar neste Blog

11 julho 2011

Música: Shine on you crazy diamond, do Pink Floyd

Queria que você estivesse aqui.

pink_floyd_-_wish_you_were_here-front1

Eu costumo dizer que o entardecer de domingo é a hora mais apropriada possível para se escutar a música Shine on you crazy diamond, da banda britânica Pink Floyd. Não posso afirmar isso com certeza, mas acredito que na primeira vez em que ouvi essa canção – e isso faz muito tempo – estávamos em um domingo à tarde, às portas da noite. E, no final das contas, essa música memorável ficou associada na minha mente a esse horário do primeiro dia da semana.

Essa associação chega a ser muito importante para mim pelo simples fato de ser muito conveniente para todos. Quais são os sentimentos que nós geralmente sentimos quando estamos em um domingo, ao pôr-do-sol, às beiras de uma longa, tediosa e cansativa semana? Além de totalmente propenso à meditação sobre a vida, eu fico relativamente deprimido, tentando juntar forças para encarar as brabas atividades semanais. E não há trilha sonora melhor para embalar esse contexto de emoções do que Shine on you crazy diamond.

Como todos os fãs de Pink Floyd sabem, essa música se encontra no álbum Wish you were here, cuja arte da capa se encontra aí em cima. Shine on you crazy diamond abre e fecha o álbum, já que é dividida em duas grandes partes – a primeira com 13:32 minutos, e a segunda, com 12:22, totalizando uma viagem de 25:54. Nessa postagem, eu me detenho especificamente à primeira parte (a que abre o CD), pois ela é a minha preferida das duas, muito embora a parte II também seja excelente.


 WP-WishYouWereHere-Back-768x1024

Encarte do CD. Tão sinistro quanto a capa


Quando eu era criança, tinha medo da capa desse vinil. Disso eu lembro bem. Antes mesmo de conhecer qualquer música do Pink Floyd, eu vasculhava a discoteca do meu irmão a fim de olhar as capas dos CDs, e uma das que eu peguei certo dia foi justamente a de Wish you were here. Fiquei olhando para aquela foto durante dezenas de minutos, bestificado. "O cara está pegando fogo tranqüilamente. Que horrível". E passei a evitar olhar para aquele CD.

Hoje, tenho essa arte de capa como uma das minhas preferidas de todos os tempos. Acho que antigamente sabiam fazer capas de CDs de rock realmente boas, sem que precisassem colocar nelas um integrante da banda sequer. Essa do Floyd, por exemplo, é tão cheia de possibilidades de interpretação que eu sempre me pego encontrando um novo significado para ela. O sentido que mais gosto de dar a essa imagem é justamente a mais difundida entre os fãs: a banda Pink Floyd está se despedindo formalmente do seu co-fundador principal, Syd Barrett, que fora consumido pelas drogas e teve que se afastar dos palcos.

Aliás, é de conhecimento geral que Shine on you crazy diamond é uma homenagem ao ex-integrante da banda. Também gosto de ouvir essa música lembrando desse bonito detalhe.


Pink Floyd 1968

Uma foto da banda em que Gilmour e Barrett estão juntos


Para ser absolutamente sincero, não tenho o costume de escutar essa música na íntegra, embora a ache belíssima de qualquer modo. (Tenho uma teoria que diz que os fãs da banda não ouvem mais com a mesma freqüência as longas músicas do Floyd na íntegra, apenas os trechos que mais apreciam). Mesmo assim, é um hino, e gosto de escutá-la do começo ao fim pelo menos uma vez no mês.

De resto, me bastam os 4 minutos iniciais da música para que grande parte dos meus problemas sejam esquecidos. Estou falando da magnífica e famosa introdução de Shine on you crazy diamond, que começa com notas sutis do teclado de Richard Wright, em um longo lamento, que se junta a seguir com os acordes igualmente singelos da guitarra de David Gilmour. O curioso é que são notas dispersas, mas incrivelmente precisas. Fica a impressão de que elas não poderiam se arrumar de outra maneira que não aquela. É impressionante.

Igualmente impressionante é o poder sedativo desses quatro minutos iniciais. Dão a sensação de que você está entrando em um mundo novo, aconchegante, no qual pode finalmente respirar em paz, sem a presença de nada que lhe perturbe o espírito. Definitivamente, a introdução dessa música é um convite. Um convite a este mundo novo sem tribulações, asséptico e pacífico.

pink_floyd_wish_you_were_here_hands_black

Eu gostaria de falar mais sobre Shine on you crazy diamond aqui, mas, pelo que sempre se mostrou, fica difícil traduzir em palavras o sentimento despertado por uma música. É por isso que, no final deste artigo, disponibilizo o áudio para quem quiser experimentar por conta própria a primeira faixa do emblemático Wish you were here. Que ela consiga relaxar as almas inquietas e atormentadas que passam por este blog, se é que passam almas inquietas por aqui além da minha própria.

É isso. Deixo vocês com os versos (traduzidos) que compõem essa belíssima música que é Shine on you crazy diamond.


Lembra quando você era novo?
Você brilhou como o sol.
Brilhe, seu diamante louco.
Agora há um olhar em seus olhos
Como buracos negros no céu.
Brilhe, diamante louco.
Você foi surpreendido pelo fogo cruzado
Da infância e do estrelato,
Fundido na brisa de aço.
Venha, alvo de risos distantes.
Venha, seu desconhecido, sua lenda,
seu mártir, e brilhe!

Você alcançou o segredo cedo demais,
Você chorou para a lua.
Brilhe, diamante louco.
Ameaçado pelas sombras da noite
E exposto à luz.
Brilhe, diamante louco
Bem, você desgastou suas boas vindas
Com precisão aleatória.
Cavalgou na brisa de aço.
Venha, sonhador, seu visionário,
Venha, pintor, flautista,
prisioneiro, e brilhe!

Ninguém sabe onde você está,
Quão perto ou longe.
Brilhe, diamante louco.
Empilhe muitas camadas a mais
E estaremos nos unindo lá.
Brilhe, diamante louco.
E nós nos aqueceremos na sombra
Do triunfo de ontem,
E velejaremos na brisa de aço.
Venha menino,
Ganhador e perdedor,
Venha mineiro da verdade e da ilusão,
E brilhe!


Todos os direitos reservados

11 comentários:

  1. Olá Marlo, a música é realimente algo que eleve nosso espírito, e é bom comentar sobre ela, porque quem compôs e canta tem todo um sentimento por trás.

    Gostaria que comentasse uma crítica que fiz ao livro Terra do Fogo:

    http://literaturagjb.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Parabens pelo blog! Um achado para minhas ferias... =D

    ResponderExcluir
  3. Olá, Alessandra! :)

    Seja bem-vinda, obrigado pela visita e pelo elogio!

    É ótimo saber que o blog foi um achado para as suas férias! rs

    Grande abraço, sinta-se à vontade!

    ResponderExcluir
  4. Poxa cara ótino seu relese mas acho a segunda parte.ainda melhor, principalmente o maravilhoso solo de teclado q tem no meio, sempre escuto as músicas do pink floyd na integra, e sempre me encontro emocionado no final delas
    Abraço

    ResponderExcluir
  5. Olá, Silvio!

    A segunda parte de 'Shine On' sem dúvida é incrível. A começar por aquele som de vento em tempestade, que é o finalzinho da música anterior, 'Wish You Were Here'. Também gosto muito dos momentos finais, dá uma sensação de nostalgia, de reviver coisas que na verdade nunca se viveu.

    Estamos falando de Pink Floyd, né... rs.

    Grande abraço, obrigado pelo comentário e seja sempre bem-vindo!

    ResponderExcluir
  6. ótimo artigo, realmente essa música alivia a alma. Particularmente gosto mais da primeira parte, entre os 5min e 8min. Sei lá, é a parte do solo que mais me desperta interesse, chama a minha atenção.....toca a minha alma.

    Parabéns, continue assim!!!

    ResponderExcluir
  7. Olá, Leandro! 'Shine On You Crazy Diamond' é de fato uma obra-prima, uma música incrível e eterna. É sempre um prazer ouvi-la! Gosto muito da segunda parte também, principalmente o minuto final, que traz uma sensação de nostalgia e término de algo importante.

    Bem-vindo ao Blog e muito obrigado pelo comentário!

    ResponderExcluir
  8. show de bola essa musica!
    eterna viagem.

    ResponderExcluir
  9. Tenho uma história sobre essa música. Minha mãe a amava, ela me fez gostar de Pink Floyd. Assistimos David Gilmour tocar ela pra nós ao vivo. E minha mãe sempre dizia "quando eu for tem que tocar a minha música" e infelizmente mês passado ela se foi e eu toquei a música pra ela. E essa vai ser sempre a música dela, a nossa e de todos que tem uma sensibilidade particular pra ouvir Pink Floyd!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito emocionante a sua história! Ver Gilmour executar essa música ao vivo deve ser arrebatador. Fico feliz que sua mãe tenha lhe transmitido esse bom gosto. Um abraço caloroso!

      Excluir

Muito obrigado pela visita ao Gato Branco! Seu comentário será extremamente bem-vindo! :)